Lembranças, açucar e pimenta






Para fazer vidro de pimenta, é preciso selecionar as mais maduras e, sem os talos, coloca-las em vidros limpos, imersos numa boa aguardente. Se quiser que arda mais, é bom acrescentar azeite. Óleo de pequi da um toque diferenciado. Acrescenta uma pitadinha de sal e pronto. Tampa o vidro e o deixa esquecido um tempo. Dependendo da pimenta que escolheu, poderá arder muito ou pouco.

Ontem, fiz dois vidros. Um de arder de verdade com a pimenta picada na faca, e outro, mais ameno, para as visitas, com as vermelhinhas inteiras. Só não sabia que as minhas mãos iriam ficar pegando fogo, logo após o processo. Com a cidade sem luz, passei horas com as mãos imersas em água com açúcar. Olhando pro nada, lembrei-me de Chiquinho.

Um poodle que dei de presente para minha filha que queria um Vídeo Game de quase 2 mil reais. Ora esta, pensei diante do preço, pra que uma moça, quase Polícia Federal, graduada e de faixa escura do Jiu-Jisu e Muay Thai e com uma agenda lotada, age assim? Dai, em uma destas andanças pelo rio São Francisco, eu vi um rapaz vendendo um cachorrinho caramelo: era o bebê Chiquinho.

Coloquei o bichinho nos braços dela, em meio à festa. “Presente é pra quem ta sem assunto”, disse-lhe diante do seu olhar maravilhado. E ele, ao lado dela, virou mais um morador de apartamento.

Arrojado, petulante e metido, Chiquinho tornou-se membro da família. A gente só não entende o que ele fala, porque não aprendemos “au-au”. Mesmo assim, nos comunicamos bem. E o peludo não se faz de rogado:  arrasta a sua coberta, na hora de dormir. Carrega a vasilha na boca, pra mostrar que a água acabou. Mas é só um cachorrinho. Mesmo que, às vezes, eu ache que ele não entenda bem isto.



Depois de passar uns 15 dias na minha casa, que tem cara e jeito de fazenda, ele e minha filha foram embora. Ficaram as fotos e as lembranças. A cara de Chiquinho diante do verde. O silêncio estupefato diante dos micos no telhado da cozinha. A primeira vez ele que viu uma galinha! A alegria por poder brincar com outros cachorros e correr livremente pelo quintal. O churrasco de carrapato ao qual foi vítimado! (Nossa, aquilo deu um trabalhão pra resolver). E o mais inesquecível de todos: seu olhar diante do verde.




Pois é, eles voltaram pra cidade "grande" e hoje recebi a notícia que Chiquinho anda deprimido. Diz que vai da euforia, a tristeza. Isto porque passa horas olhando para o nada, suspirando. Depois fica barulhento. Mostra a porta, entrega a guia. Quer sair. Mas, na rua, fica mais agitado ainda, talvez procurando o que não existe na cidade de pedra. Nem os passarinhos que ele adorava ver pela janela. Muito menos os bois. Ontem, minha filha me contou que Chiquinho estava de barriguinha pra cima, e de vez em quando, só de vez em quando, olhava para o  lado querendo confirmar a presença da sua fiel companheira. Depois, entre um suspiro e outro, entregava sabe-se lá, as lembranças do dia que alçou voos pelo verde."Chiquinho esta na fossa", disse-me ao telefone.

Agora você deve estar se perguntando, “o que tem haver a pimenta, mãos submersas em água e açúcar e, Chiquinho?” 

Aparentemente, nada. Mas se olhar bem, com olhos da alma, verá que é como estar diante de um fato que não pode mudar. As mãos ardem, mas a doçura  com que a gente imerge nas deliciosas lembranças, faz diferença. Faz valer a pena. Mesmo que arda.

Chiquinho vai sarar. A fossa passará. São as pimentas da vida, na vida de todos nós.

29 comentários:

  1. Chico é uma graça mesmo.. dá pra ficar na duvida se dentro dele não tem um pouco de 'gente'. Mas ele tem seu charme eterno, quanto que as vezes até esqueço que queria era um ps3!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É o bichinho da família, né Vivi?

      Excluir
  2. Valeria, nem conhecia este doce de lugar.... e Chiquinho... que fofo! É, não só as mãos ardem, o coração tambem, o meu as vezes fica assim, resta-me a doçura do que me rodeia e é vinda com sinceridade.

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É sim, Sissym! Saudade vem em todos os tipos de sensações, e a gente tem que ficar com a parte doce dela, que é a saudade!

      Excluir
  3. As lembranças são para lembrar.
    É por isso que se chamam lembranças.
    Se fossem para sonhar, chamavam-se sonhos. E o Chiquinho sabe disso. E as tuas mãos já não ardem, a água doce acalmou-as.

    Grande beijinho e saudades!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As lembranças são pra lembrar, as saudades pra sentir!

      Saudades de vc também, Lu!

      Excluir
    2. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

      Excluir
  4. Eu tenho uns Chiquinhos por aqui, maiores, mas naquela idade em que até os cachorros ficam contemplativos, melancólicos, talvez olhando tempos em que corriam leves e soltos sem dores estranhas num corpo que se queixa de cansado. Sei que eles percebem qdo tem pimenta no ar. Não sei qual conexão, deve ser algo sensorial, mas o olhar, os movimentos de cabeça, a forma como se aconchegam, parecendo dizer "Estou nessa com vc", me fazem pensar que não dá pra viver sem um Chiquinho por perto, né não?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah Carla, os nossos Chiquinhos são a parte do alento. E é sempre bom te-los por perto, sim senhora!

      Excluir
  5. Olá Valéria !! Huuum agora consegui vir rsrs

    Linda postagem, me senti quase que fazendo parte da história e acho que todos nós sabemos um pouco como é esta fossa do Chiquinho, coitadinho, quando estamos perdidos em alguma lembrança maravilhosa, mas que por algum motivo, é lá que permanecerá, em nossa memória, e assim vamos seguindo, nos adaptando, mas de vez em quando arde a beça e é preciso dar uns suspiros e mergulhar no que passou uns momentos para adoçar a vida e nosso coração ;)
    Amei !!

    Um super beijo e que seu restinho de semana seja ótimo !!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este bichinho é danado, Samanta. às vezes, me pego rindo das graças que ele faz. É um bichinho, eu bem sei, mas é muito especial.

      Obrigada!

      Excluir
  6. Ah, Valéria, adorei este Chiquinho e sua receita para curar o ardor da pimenta! Verdade, e você sabe porque me conhece e adivinha um pouco,que andei mesmo usando o mergulho na doçura das lembranças dos sonhos lindos que já sonhei, e concordo com você, que a gente imerge neles, e quando sai, tá mais doce outra vez, e faz toda a diferença sim.
    Você escreve deliciosamente. Tava com saudades de te ler!
    Beijos,
    Vera.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Saudade é sinal que valeu a pena, né?

      Bjs pra vc, Vera!

      Excluir
  7. Anônimo12:13

    Dedo de Moça, Cumari, Malagueta, calabreza, do Reino e de Cheiro!!!!

    Um lado que arde, outro que é delícia de sorvete!!!!

    Que a crise existencial do Chiquinho passe rapidinho!!!!!!

    Jack

    ResponderExcluir
  8. Gosto demais quando se usam as palavras para expressar realidade.
    Claro que o bichinho irá se salvar da 'fossa', amiga!

    Os animais também tem direito a dias de TPM.

    beijos, Maria Marçal - Porto Alegre - RS

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nem é TPM, rsrsrs, mas uma fossa das grandes!

      Beijos também, Maria!

      Excluir
  9. Valeria, amiga, sabe dizer por que gosto tanto de voce?!
    Eu não sei não... rssss

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ainda bem que estas coisas não tem explicação. Assim, a gente só curte, né?

      Bjs

      Excluir
  10. Oi Valéria,

    que alegria imensa te ter por lá, me trazendo até aqui, e que fantástica descoberta fiz desta sua casa, só conhecia o "Amores".

    Gosto destes oásis que nos fazem parar para descobrir o olhar profundo, o sentir leve, o perceber simplicidades tão imensas, como as mãos imersas em água doce e o olhar do Chiquinho imerso na lembrança.

    Quanta delicadeza, quanta poesia há neste seu olhar, que vou descobrindo pouco a pouco e, para onde sempre irei querer voltar.

    Encantei-me!

    Um beijo grande.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que vc veio! Assim o meu espaço fica repleto de gente boa! E isto me faz muito bem!

      Bjs

      Excluir
  11. Boa tarde gostei da postagem, bonito blog parabéns bjaum.

    ResponderExcluir
  12. Valeria, onde vejo atualizações? Pode me enviar link caso esteja com outro blog?1 Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Atualizações Sissyn? Acho que só depois, bem depois que a expedição acabar. Mas, vou me esforçar. Obrigada, querida!

      Excluir
  13. Lindo blog e lindo cachorro, Valéria. Tenho uma Shit-Zu preta e branca. É linda também. Imagino a saudade que o Chiquinho deve estar sentindo desse belo lugar. Só pela foto que você postou dessa árvore na janela já dá pra 'invejar'. Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É sim, aqui é muito bonito. São dois janelões 3 x 3, seis metros acima do chão. Pássaros cantam pra todo lado. Micos e um nascente. Tudo no seu devido lugar.

      E meu amiguinho, assim como a sua Shit-Zu, sempre adoram a liberdade do mato.

      Volte sempre pra matar a inveja ou bater um papo legal.

      Bjs!

      Excluir
  14. Que bacana seu blog... Bem diversificado!

    ResponderExcluir

Quer comentar? Seja bem vindo!